21 de junho de 2015

Curso de Reiki Usui-Tibetano - Shoden - "O Despertar" - 12/07/2015


Solstício de Inverno - Yule

Solstício de Inverno - Yule



Festival comemorado no dia 21 de junho, a época das noites frias. O mês de junho em gaélico chama-se Meitheamh. Em galês este festival é conhecido como Alban Arthan, a Luz de Arthur ou a Luz do Inverno, uma versão poética, que relaciona o Solstício de Inverno às lendas do rei Arthur, como Arcturus, o guardião do urso, à estrela mais brilhante do Hemisfério Norte, que celebra este festival no dia 21 de dezembro.
Este é um período de fortalecimento interior e de total movimento descendente. No Solstício de Inverno os poderes da noite e da terra atingem o seu ápice.
O Solstício de Inverno é tempo de regeneração e mudanças, o recolhimento na escuridão da terra, ou seja, o hibernar para renovar-se.
Ideal para despertarmos nossa criança interior, restaurando as energias em honra à Mãe Divina, esse festival representa, basicamente, o ciclo de morte e renascimento. Momento propício à meditação, a introspecção, ao desapego e a proteção.
As noites se tornam mais longas que o dia, e o inverno por fim se estabelece. A partir desta data, a luz solar começa aumentar gradativamente, apesar do tempo frio.
O inverno é época de semeadura. Ali, procuraremos, como o semeador, escolher os melhores grãos. Analogamente é época de pensar em nossos objetivos para o novo ciclo, conforme a experiência adquirida.
O sol se afastou do hemisfério norte e a terra se prepara para trabalhar interiormente. Os frutos da colheita anterior já estão recolhidos. É o momento para selecionar os melhores frutos, obter suas sementes e voltar a semear. Há frutos que se estragaram, apodreceram ou não se desenvolveram bem. Estes se eliminam e se guardam os melhores.
Analogamente, há um momento para avaliar os objetivos obtidos. De tudo de que te foi proposto, certamente haverá metas que, todavia não foram conseguidas. Isto não é um fracasso se aprendestes com a experiência. Isto quer dizer que este é um momento de se investigar quais são as causas que tem nos impedido até agora de alcançar o êxito. Uma vez determinados os obstáculos que o tem impedido, devemos elaborar um plano para supera-los e avançar, desta maneira, até um êxito final.
Os obstáculos podem ser de diversas índoles. A maioria, seguramente, está em ti mesmo. Não culpes nada do que te sucede. Não culpes aos demais se não conseguiste determinadas metas. Talvez não seja o momento, quem sabe tenhas que desenvolver outros objetivos antes, talvez tenha que vencer seus medos ou empregar mais energia e vontade para consegui-los. Por vezes as metas são pouco realistas e nesse caso deverás reprograma-las para avançar por etapas: uma escada se sobe degrau por degrau.

Um período de amor e solidariedade

Nós, seres humanos, temos vivido centenas de milhares de anos em estreito contato com a natureza, sendo parte dela mesma. Somente nestes últimos séculos é que temos construído cidades e nos afastados dela. Porém todo nosso ser segue respondendo a esses ciclos, levando esse programa em nossos genes.
Imagine uma tribo vivendo em cavernas ou choças em pleno inverno. Para sobreviver deveriam guardar os grãos de alimentos que colheram para alimentar-se, quando escasseiam os vegetais. Também protegem seus animais para ter disponível, especialmente, leite.
De acordo com a dedicação e esforço, é certo que algumas famílias teriam melhores colheitas que outras. Porém se quem tem para comer no inverno, guarda o que tem e inclusive  não divide com quem não tem o suficiente, o resultado seria morte de alguns membros da tribo. E isto, logicamente, prejudica a totalidade, pois os debilita. De modo que, por razões de sobrevivência, toda a tribo compartilha o que tem para passar a época mais difícil.
O sol, como dito, encontra-se afastado. Há mais frio e mais escassez de tudo. O sol é a fonte da vida e do calor. Sem dúvida, o ser humano observa facilmente que o sol retornará e a natureza voltará em abundância e esplendor.
Os membros da tribo se reúnem em torno da fogueira. O fogo obviamente os dá calor, luz e ademais, provavelmente os permite cozer alguns alimentos. Juntos, se apoiam e compartilham o que tem.
Isto vai se transformando em uma celebração e uma cerimônia. O fogo é a representação do sol, momentaneamente ausente. É também o elemento transformador do todo: o que era sólido o transforma em líquido, o líquido em vapor, o denso se transforma em sutil.
Os povos de todos os lugares do planeta começam a celebrar o Solstício do Inverno.
É desta cultura que as festas solsticiais se acompanham do fogo. Inclusive se colocavam tochas nas árvores, para iluminar o caminho e o lugar da celebração. Na noite solsticial se trocavam presentes. É noite de solidariedade, de amor e de esperança.
Quando o cristianismo começa a propagar-se na Europa, assimila estas festas solsticiais a seus próprios ritos e símbolos, Daí que se fixa a data de nascimento de Jesus no Solstício de Inverno (Hemisfério Norte). O menino Jesus passa a simbolizar para os cristãos a ideia de solidariedade, amor e esperança. Por isso se colocam luzes nas árvores, a semelhança das tochas que antigamente se colocavam no norte da Europa. Por isso se trocam presentes, ainda que para a maioria dos cristãos de hoje, tornou-se simplesmente uma expressão de materialismo e consumismo. Muitos esquecem que o valor material não é importante, mas sim dar algo de si que possa compartilhar com os demais, para que juntos, unidos em amor e solidariedade, possam melhorar sua qualidade de vida.
É o momento de ter fé e esperança de que tudo irá melhorar se tivermos uma atitude interior correta, se amarmos e sermos solidários.
Esse é o Solstício de Inverno, a noite mais longa do Ano. A partir desse dia, o Sol se aproxima da Terra, e a escuridão do inverno ameaça ir embora. É quando a Deusa dá à luz seu novo filho, o Deus renovado e forte, ainda bebê. É importante notar que no hemisfério norte o Yule é comemorado na mesma época do Natal, e que tem significado muito parecido com o feriado cristão: o nascimento do Deus menino, filho de um Deus maior, aquele que trará a esperança à Terra.
O hábito de trazer pinheiros para dentro de casa é um hábito totalmente pagão: o Pinheiro, o azevinho, e tantas outras árvores tão utilizadas no Natal são árvores cujas folhas perenes e sempre verdes, simbolizam a continuação da vida. Os sinos são símbolos femininos de fertilidade, e anunciam os espíritos que possam estar presentes. É desta data antiga que se originou o Natal Cristão.
Nesta época, a Deusa dá à Luz o deus, que é reverenciado como CRIANÇA PROMETIDA. Em Yule é tempo de reencontrarmos nossas esperanças, pedindo para que os DEUSES rejuvenesçam nossos corações e nos deem forças para nos libertarmos das coisas antigas e desgastadas. É hora de descobrirmos a criança dentro de nós e renascermos com sua pureza e alegria.
Ornamente seu altar com folhas de figueira, azevinho ou carvalho, assim como o pinheiro que simboliza a renovação e o crescimento, além de elementos que lembrem o inverno. Acenda algumas velas, para simbolizar o Sol e elevar os ânimos. Honre a Mãe Terra e o renascimento do poder solar, como a esperança do retorno da luz.
Coloque flores e frutos da época no altar. Se quiser, pode fazer uma árvore enfeitada, pois está é a antiga tradição "pagã", onde a árvore era sagrada e os meses do ano tinham nomes de árvores. Esta é a noite mais longa do ano, onde a Deusa é reverenciada como a Mãe da Criança Prometida ou do Deus Sol, que nasceu para trazer Luz ao mundo. Da mesma forma, apesar de todas as dificuldades, devemos sempre confiar em nossa própria luz interior.

COMEMORANDO O YULE 

O altar é decorado com plantas como Pinho, Alecrim , Louro , Zimbo e Cedro, os quais podem ser utilizados para marcar o Círculo. Folhas secas também podem ser colocadas no altar. Encha o caldeirão - no altar e sobre uma superfície à prova de FOGO - com algum líquido inflamável (álcool), ou então coloque uma VELA vermelha dentro do caldeirão.
Em rituais externos, prepare uma fogueira sob o caldeirão, a ser acesa durante o Ritual. Prepare o Altar, acenda as Velas e Incensos, crie o círculo, invoque a Deusa e o Deus. Em pé, diante do caldeirão, contemple seu interior. Diga estas palavras ou outras semelhantes.
"Não me aflijo, embora o mundo esteja envolto em sono.
Não me aflijo, embora os ventos gélidos soprem.
Não me aflijo, embora a neve caia dura e profunda.
Não me aflijo, logo isto também será passado."
Acenda o caldeirão (ou a vela), usando fósforos longos ou uma vela. Enquanto as chamas crepitam, diga:
"Acendo este FOGO em sua honra, Deusa Mãe.
Você criou vida a partir da morte; o calor do frio;
O sol vive novamente; o tempo de luz está crescendo.
Bem - vindo, Deus Solar que sempre retorna!
Salve, mãe de Tudo!"
Circule o altar e o caldeirão lentamente, no sentido horário, observando as chamas. Repita o seguinte por algum tempo: "A roda gira, o poder queima!”.
Medite sobre o Sol, sobre as energias ocultas que adormecem durante o inverno, não apenas na Terra, mas em nós mesmos. Pense no nascimento não como o início da vida, mas sim sua continuação. Dê boas vindas ao Deus. 



Após algum tempo, pare e novamente de pé diante do altar e do caldeirão no fogo, diga:
"Grande Deus do Sol, Saúdo o Teu retorno.
Que brilhes sobre a Deusa;
Que brilhes sobre a Terra,
Espalhando as semente e fertilizando o solo.
A Ti todas as bênçãos, Ó renascido do Sol!"


Trabalhos de magia, se necessários, podem-se seguir! Celebre o banquete simples. O circulo está desfeito.
ERVAS TÍPICAS DO YULE
 
Louro, Camomila , Alecrim , Sálvia, Zimbo, Cedro e outras.
COMIDAS TÍPICAS DO YULE 

Carne de porco, castanhas, frutas como a maçã e pêras, bolos de castanhas embebidos de cidra, chás de Gengibre ou hibisco.

Namastê

Eu Sou Sergio Tarragô

5 de fevereiro de 2015

Interatividade no Blog! Vamos participar






Interatividade no Blog





Olá Pessoal!

Após o retorno do blog, foi percebido que houveram vários acessos! Entretanto, algumas pessoas vieram me informar que estavam tendo algumas dificuldades para interagir no Blog, ou seja, deixar comentários, suas opiniões, sugestões e afins!

Devido a isso, resolvi criar essa postagem que acredito irá elucidar aos nossos amigos que querem e devem interagir com a gente!


  • Comentários nas Postagens:
Para inserir qualquer tipo de comentários em qualquer uma das postagens, basta clicar no título da postagem, onde abrirá a página da postagem e no final encontra-se o seguinte quadro:



Caso você não tenha uma conta do Google, no campo onde diz "Comentar como:" deve-se colocar Anônimo. Assim poderás tranquilamente deixar seu comentário.

OBS: Caso coloque "Anônimo" por favor assine seu nome, para que possamos nos conhecer, e caso queira deixe e-mail!

  • Formulário de Contato:
Essa é uma nova ferramenta. Ela serve para termos contato direto, basta preencher o Nome, E-mail e Mensagem e clicar no botão Enviar. Para as pessoas que não querem que seus comentários sejam vistos, essa é uma boa opção. Pedidos, sugestões, dicas e tudo mais, envie-nos por aqui também!

 

  •  E-mail de contato:
Além desses dois canais de comunicação, temos também o e-mail do Blog que é:

neoaprendizblog@gmail.com

  • Reações ao ler as postagens:
Outra novidade que temos no Blog é você poder expressar a sua reação e opinião ao ler a postagem:





Enfim pessoal, estão ai todas as formas de contato conosco! Agora é mãos à obra e vamos interagir!!!

Abraços de luz!!!